Arquivos do Blog

10 características de um pastor sério

holding_bibleVivemos dias difíceis onde um número significativo de pastores tem sido reprovados, por Deus, pela Igreja e até mesmo pela sociedade. Alias, quase todos os dias ouvimos notícias de que algum pastor cometeu algum escândalo, vilipendiando assim Cristo e seu evangelho. Todavia, como sabemos, nem todos os pastores podem ser considerados “farinha do mesmo saco”, mesmo porque, Deus em sua infinita bondade e graça tem preservado um grande número de pastores que não se encaixam no perfil de desonestos e safados.

Isto posto, resolvi elencar 10 características de um pastor sério, senão vejamos: leia mais

Afinal, quem é o pregador?

Pr. Otoniel Oliveira

Jesus pregandoA igreja tem a presença de três elementos determinantes para a continuação da obra divina, a Palavra de Deus – pois sem ela não seríamos alimentados; a igreja – aquela que anseia por ouvir esta palavra; e o pregador – pois sem ele esta palavra não seria exposta. Por não ser possível a abordagem de todos estes elementos neste texto nos deteremos a apenas um destes, o pregador. Diante disto nos resta entender o que a figura deste pregador tem a nos dizer. Os outros dois elementos serão expostos em ocasião oportuna.

O PREGADOR E O RECONHECIMENTO Ec 9.13-15

Em dias de notória confusão teológica o pregador se apresenta como aquele que é merecedor de todos os reconhecimentos e honras, que se apresenta acima do bem e do mal e detentor da verdade. São inúmeros os exemplos de pessoas que de forma esdrúxula se apresentam como líderes eclesiásticos fazendo exigências antibíblicas e até mesmo imorais, fugindo completamente do que se espera do pregador numa perspectiva bíblica.

Ser tido como o expoente, o mais carismático, o líder que arrebanha multidões faz parte de uma campanha midiática para transformar homens que primariamente deveriam ser servos, em estrela que deve ser tratada como tal, de forma diferenciada dos demais afinal não é alguém comum, mas aquele que é merecedor de todos os aplausos e elogios. LEIA MAIS

Sete características das igrejas que cometem abuso espiritual

Recebi por e-mail e gostaria de compartilhar. Qualquer semelhança com uma instituição milenar ou com algumas “neo”, não é mera coincidência.

1 – Distorção da Escritura: para defender os abusos usam de doutrinas do tipo “cobertura espiritual”, distorcem o sentido bíblico da autoridade e submissão, etc. Encontram justificativas para qualquer coisa. Estes grupos geralmente são fundamentalistas e superficiais em seu conhecimento bíblico. O que o líder ensina é aceito sem muito questionamento e nem é verificado nas Escrituras se as coisas são mesmo assim, ao contrario do bom exemplo dos bereanos que examinavam tudo o que Paulo lhes dizia. Leia Mais

Eu fui ao inferno e falei com o diabo

Quando eu era criança, uma igreja dessas “neo” se mudou para a rua que moro e levou como atração um ex-traficante carioca que tinha ido ao inferno após ter sido “assassinado” pela polícia. Aquilo se espalhou pelo bairro e no sábado todos estavam lá para ver um senhor, cego pelos tiros que o acertaram na cabeça, narrar com muita empolgação sua saga dantesca.

Porém o que todos não perceberam é que toda aquela experiência não foi nada além de um sonho, um alerta de Deus para que ele se arrependesse de seus pecados. Basta uma breve leitura da Bíblia e, Lucas 16, para compreendermos melhor. Renato Vargens escreveu um texto ótimo sobre o assunto. Seja razoável e analise, com base nas escrituras:

Virou mania entre alguns evangélicos a afirmação de que foram arrebatados ao inferno, falaram com o capeta, bem como tiveram revelações extraordinárias sobre o sofrimento eterno.

Pois é, lamentavelmente esse tipo de coisa se tornou comum em nossos arraiais, até porque um número cada vez maior de pessoas advogam a causa de que tiveram experiências espirituais que lhes asseguram novos conceitos sobre a morada do cão.

O pior é que quando refutamos essas aberrações teológicas sempre aparece um engraçadinho dizendo: Vocês não acreditam no poder Deus, tem muita coisa nova sendo revelada pelo Espírito Santo, coisas essas que a Bíblia não diz!

LEIA MAIS

Disciplina ou punição?

Quando estamos na adolescência ou início da juventude, recebemos diversos rótulos na sociedade: Rebeldes, inconstantes, indisciplinados. Na igreja não é diferente, geralmente nossos deslizes com a bebida ou o sexo deixam o pastor e o diaconato de cabelo em pé (ou sem ele). Sempre tem um adolescente “no banco”, mas muitas vezes a disciplina não ocorre de maneira correta. Leia o resto deste post

%d blogueiros gostam disto: